VACINAS PARA SEMPRE: Reino Unido lança QUINTA dose contra COVID

Assim como muitos disseram que aconteceria, o número de “vacinas” de coronavírus Wuhan (COVID-19), que os governos querem injetar nos corpos das pessoas, está se tornando interminável.

No Reino Unido, o Serviço Nacional de Saúde (NHS) do governo, divulgou uma quinta dose da vacina covid, que já está disponível para 400.000 pessoas que já receberam quatro doses.

O programa “booster” da primavera, está oferecendo injeções para pelo menos cinco milhões de pessoas que receberam apenas três injeções até agora, com agendamentos de até 600.000 delas na segunda quinzena de março, para essas pessoas receberem sua quarta injeção.

“Estamos nos preparando para uma quarta dose porque vamos precisar dela”, anunciou o primeiro-ministro Boris Johnson em uma recente conferência conservadora em Blackpool.

Aqueles que já deram quatro doses, agora estão alinhados para uma quinta dose. Depois disso, veremos uma sexta, sétima, oitava, nona e décima dose, seguidos por um número infinito de doses depois disso.



“Protegemos milhões de pessoas graças aos esforços de nossa equipe e voluntários. Eles mais uma vez estarão à altura do próximo desafio”, explicou a executiva-chefe do NHS, Amanda Pritchard.

Leia também: Taxas de ataque cardíaco disparando

O secretário de Saúde Sajid Javid acrescentou ainda que o “fenomenal programa de vacinação da Grã-Bretanha salvou inúmeras vidas e construiu um muro de defesa, que nos permitiu aprender a viver com a COVID”.

Este é o mesmo Sajid Javid, a propósito, que prometeu no final do ano passado que os britânicos tomariam injeções de COVID quatro vezes por ano pelo resto de suas vidas.

Quanto mais as pessoas são estimuladas, mais doentes ficam

A Agência de Segurança da Saúde do Reino Unido (HSA) afirma que, desde meados de dezembro, cerca de 157.000 hospitalizações foram evitadas, por causa de injeções de reforço. A prova para apoiar isso, no entanto, é inexistente.

Alguns dos dados mais recentes da HSA sugerem que o oposto seja verdade, de fato.

A grande maioria das pessoas que estão adoecendo e tendo que ser hospitalizadas por “COVID”, ao que parece, são pessoas que tomaram suas injeções, incluindo os reforços, conforme estimulado pelo governo.

Leia também: COVID Novilíngua: Alterando definições para alterar percepções

Muitos desses indivíduos “totalmente vacinados” e “totalmente reforçados” também agora sofrem de AIDS, induzida por vacina (VAIDS), que provavelmente se tornará um problema muito maior nos próximos meses e anos à medida que a destruição imunológica progride.

O Daily Exposé relatou extensivamente sobre a VAIDS, dissecando os dados da HSA para descobrir a verdade. Na maioria das vezes, a HSA relata exatamente o oposto do que seus próprios dados realmente revelam quando examinados de perto.

A eficácia das vacinas no mundo real é realmente negativa, o que significa que as injeções degradam a função imunológica, não a promovem. E, no entanto, a HSA continua mentindo para o mundo sobre quem está realmente adoecendo e ocupando leitos hospitalares.

“A Inglaterra está passando por uma pandemia dos totalmente vacinados, com a população vacinada acima de 18 anos, como um todo registrando chocantes 1,67 milhão de casos em janeiro de 2022, em comparação com apenas 228.750 casos entre pessoas não vacinadas com mais de 18 anos”, informou o Exposé.

Leia também: Reino Unido: Dados que revelam quantas crianças morreram das vacinas COVID são enterrados

Se é verdade que as doses duplas, triplas, quádruplas e quíntuplas estão perdendo sua função imunológica devido a VAIDS, e que quanto mais doses uma pessoa recebe, mais rápido essa degradação imunológica ocorre, então o mundo está em perigo e uma grave crise de saúde pública nos aguarda num futuro muito próximo.

“Um vizinho de repente começou a ter herpes zoster e outro está na viagem 3 de testes de diagnóstico, para tentar descobrir o que há de errado com ele (problemas cardíacos, problemas respiratórios e outros). Ambos totalmente vacinados e imunizados. Foi longe demais para trazer à tona, o óbvio elefante de mRNA na sala, mas é difícil ignorar que é uma provável causa ou contribuinte”, escreveu alguém no Natural News.



Privacy Settings
We use cookies to enhance your experience while using our website. If you are using our Services via a browser you can restrict, block or remove cookies through your web browser settings. We also use content and scripts from third parties that may use tracking technologies. You can selectively provide your consent below to allow such third party embeds. For complete information about the cookies we use, data we collect and how we process them, please check our Privacy Policy
Youtube
Consent to display content from Youtube
Vimeo
Consent to display content from Vimeo
Google Maps
Consent to display content from Google
Spotify
Consent to display content from Spotify
Sound Cloud
Consent to display content from Sound